Novas Mudança de mindset na educação

Novas Mudança de mindset na educação

Em 2006, a psicóloga da Universidade de Stanford, Carol Dweck, publicou a, hoje, célebre obra Mindset na qual discorreu sobre a importância de uma forma de pensar otimista e aberta à possibilidade de desenvolvimento para construção de mudanças positivas e bem-estar pessoal. A palavra mindset pode ser traduzida do inglês como forma de pensar. A educação brasileira e os profissionais que nela atuam precisam passar por uma mudança de mindset. Há muitos anos, a academia e a pesquisa educacional brasileira são fortemente influenciadas por um viés pessimista, engajado em um combate ao status quo de uma forma que descontrói perspectivas de mudança e enxerga a anacrônica luta de classes como principal problema contemporâneo. Uma observação em congressos de educadores ou em centros de ensino superior que formam profissionais da área evidencia profissionais que se sentem desmotivados, que gostariam de ser mais valorizados e que cobram da sociedade a valorização e a mudança como direitos. Subvalorizando a própria responsabilidade, tendem a atribuir as justificativas para as dificuldades da educação no Brasil às mazelas da falta de estrutura, de incentivo e a desvalorização.

Isso posto, observamos que a maioria das grandes mudanças as quais  revolucionaram a sociedade recentemente  são oriundas de grupos alheios ao setor transformado, naturalmente sujeitos à complacência. O Uber não foi inventado pelos taxistas, o Airbnb não foi criado por nenhuma rede de hotéis e  o Netflix não foi concebido por nenhuma rede de mídia ou mesmo de locadoras de dvd’s. Todos  tiveram impacto tremendo, pois assumiram para si a responsabilidade – e não o direito – de entregar valor para a sociedade utilizando, como instrumento, a inovação e a vontade de mudança.

Em todo o mundo, discutem-se os desafios de se pensar a educação do futuro. Eclodem, então, iniciativas com potencial exponencial de mudanças positivas. Muitos jovens de diversos setores têm direcionado seus esforços para solucionar os problemas, acreditando na possibilidade de transformação. A informação irrestrita e gratuita disponível na internet e as novas possibilidades do movimento faça-você-mesmo tornam todos os educadores potenciais revolucionários, nas mais remotas salas de aula.

É preponderante disseminar, no Brasil, como já acontece nas regiões mais inovadoras do mundo, um mindset de crescimento, aberto e confiante, utilizando o potencial de milhões de indivíduos em colaboração.  Construamos, então, as mudanças que queremos ver!

Fonte: Gazeta Online



WhatsApp chat