6 PASSOS PARA REALIZAR AVALIAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS CONFORME A ABNT 14653 PARTE 5

6 PASSOS PARA REALIZAR AVALIAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS CONFORME A ABNT 14653 PARTE 5

Como fazer a avaliação de máquinas e equipamentos?

Antes de mais nada, é preciso ter em mente a diferença entre máquinas e equipamentos. Máquinas são todo e qualquer aparelho, composto por um ou mais equipamentos, destinado a executar uma ou mais funções específicas. Equipamentos, por sua vez, são qualquer unidade auxiliar componente de uma máquina.

No caso da avaliação de máquinas e equipamentos, alguns dos fatores mais importantes a serem analisados são o custo e sua utilidade. O engenheiro determina, a partir de seus conhecimentos acerca do assunto e da complexidade do ativo, seu valor e custo.

O primeiro passo para avaliá-los é o planejamento, de forma a analisar as necessidades, requisições de documentos e escopo do trabalho. Para isso, é necessário determinar a finalidade do laudo de avaliação que será feito. Como vimos anteriormente, são diversas as finalidades.

A avaliação de máquinas e equipamentos contempla itens como informações de mercado, renda que a máquina é capaz de produzir, estado de conservação da máquina/equipamento, custo e depreciação. Veja, abaixo, o passo a passo:

 

Os 6 passos do processo de avaliação de Máquinas e Equipamentos

 

1ª etapa: Inventário dos bens da empresa

Essa etapa consiste em realizar o levantamento dos itens, sendo cada item um ativo fixo. Durante esta etapa, é feita a vistoria física, a coleta de dados, o emplaquetamento e os registros fotográficos, descrevendo o bem e localizando-o.

Com todas essas informações, é possível prosseguir com os cálculos necessários, de forma a determinar o valor avaliado com base nas premissas e finalidade da avaliação.

 

2ª etapa: Avaliação dos ativos

Na avaliação dos ativos, pode identificar o custo de reposição, o valor justo e o valor residual (valor que se espera receber pelo bem ao final da vida útil). Para isso, é necessária uma pesquisa de mercado.

 

3ª etapa: Revisão das vidas úteis

A revisão das vidas úteis atribui ao bem a vida útil remanescente, que se trata da expectativa de vida útil que se calcula para se utilizar o bem;

Dica! Faça o curso AVALIAÇÃO DE MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS, INSTALAÇÕES E BENS INDUSTRIAIS EM GERAL – ABNT 14.653-5 T2, clique aqui.

 

4ª etapa: Conciliação de dados

Nessa etapa ocorre a comparação dos dados da base contábil com as informações do inventário físico. Durante a conciliação de dados são gerados 3 relatórios: bem conciliados, sobras contábeis e sobras físicas.

As sobras contábeis são aqueles bens que são contabilizados sem a existência real. Já as sobras físicas são os bens existentes, mas sem registros contábeis.

 

5ª etapa: Laudo de Avaliação de Máquinas e Equipamento

Deverá ser realizado por engenheiro qualificado e experiente, sempre embasado nas melhores práticas de mercado.

 

6ª etapa: Elaboração de Manuais

A elaboração de manuais para uma melhor utilização do patrimônio da empresa

Outras etapas que poderão conter este trabalho são treinamento de equipe interna ou até mesmo a instalação de um software especializado em controle patrimonial.

Com o processo concluído, é gerado um laudo de controle patrimonial ou gestão do ativo imobilizado, que junta todas essas informações em um relatório para análise dos dirigentes. Esse documento auxilia-os a definir regimentos internos, modos de utilização de cada máquina/equipamento, compras a serem feitas, entre outras decisões importantes para o crescimento da empresa.

 

Fonte: Adaptado de: https://investorcp.com/gestao-ativo-imobilizado/motivos-para-avaliar-maquinas-e-equipamentos/

Publicado originalmente em 02/05/2019



WhatsApp chat